sexta-feira, 5 de abril de 2024

Finisterra [T01E07] - O Fantasma na Cabana e a Pescaria

Relato da campanha Finisterra T01E7 [12/10] 📝

Personagens: Leandrinha [Pequenina], Olaf [Anão], Pela Pau [Ladrão] e Orelha Seca [Mago]
Na ficção: 20 do Cobre, terceiro mês do ano e último da primavera

Imagem gerada por IA

O Fantasma na Cabana e a Pescaria

Caminhei muito até chegar nesse lugar, fiquei feliz em saber que a promessa dos Biltres era real e que de fato eles estavam patrocinando os aventureiros que se dispusessem a explorar esses ermos. Fui bem recebido na vila, Mirtes foi bem direto ao ponto e logo já estava na estrada rumo a grande parede de pedra acompanhado de pessoas que eu jamais havia visto, mas dali em diante seriam meus companheiros e me manteriam vivo, assim como eu a eles, pois encarar os ermos sozinho é uma sentença de morte.

Um dos integrantes da trupe conhecia o caminho e nos levou ate uma floresta antiga, passamos pelo paredão de pedra através de um vale, avistei também uma parte árida no caminho e um grande matagal a minha esquerda. Seguimos em frente sem imaginar o que nos aguardava. Ao longe avistamos uma ruína de cidade com uma terra enegrecida e ao chegarmos lá entendemos que era uma terra que tinha sido salgada, inutilizada que mais tarde descobriríamos que a punição veio por uma maldição jogada nessa cidade.

A descoberta dessa resposta veio através de caminhos tortuosos floresta a dentro, guiados por marcas nas arvores e por uma trilha estreita que nos levara até a grande arvore púrpura. Não sou muito de floresta, prefiro as montanhas, mas tenho que admitir que essa arvore era muito bonita. Ali encontramos uma fada, na hora lembrei da recompensa oferecida por Mirtes, mas logo o conselho do mago de não mexer com essas criaturas fez sentido, um lugar seguro naquela floresta imensa cercada de aranhas que me dão calafrios vale bem mais que 2000 peças de ouro, por isso aconselho que não mexam com as pequenas criaturas. 

Após descansar seguimos nosso caminho até a casa abandonada que o mago havia dito, ali encontramos um mago velho e avarento, que pediu em troca de sua cooperação a “permanência” de um de nós ali em sua casa, a pequenina concordou e logo vimos o terrível fantasma sugar sua vida, isso me deixou bravo, já que não sabia que a tal “permanência” era a própria vida, olhei para o mago e entendemos naquele instante o que devia ser feito, pulei para o porão assombrado enquanto meu amigo feiticeiro lançava uma luz na cara do fantasma maldito, passei o laço feito pelo outro mercenário que nos acompanhava e prendi a pequenina que foi içada alçapão acima. O fantasma ainda tentou me acertar, mas ele não contava que essa carcaça era mais dura do que ele pensava.

Esperamos mais um tempo ali na casa abandonada quando entendemos que aquele medíocre ser não conseguia deixar o porão, bolamos um plano para roubar seu tesouro, não existe tranca que resista a meu pé de cabra e logo tiramos as tabuas do assoalho e içamos a caixa de tesouro, só não pegamos tudo porque o maldito deixou o ar muito frio e mesmo eu acostumado com a profundidade da montanha não suportei.

Imagem gerada por IA

Saímos em busca de abrigo com a pequenina desacordada e logo estávamos de volta a arvore púrpura, a fada ainda estava brava devido a em nossa última passagem alguns de nossos companheiros terem tentado captura-las, e por isso elas pregaram uma peça de volta e agora estavam mais arredias. Descansamos e seguimos.

Ainda de noite o sentimento de estarmos sendo observados foi palpável, sem a proteção das  fadas e da arvore, certamente teríamos sido devorados. Seguimos de volta pela floresta e não tardou até aranhas enormes nos abordarem, bravamente lutamos e uma delas caiu devido ao fogo causado pela ânfora de óleo e a força de meu machado, mas essa pequena vitória me causou um ferimento grave, fui envenenado pela maldita e dali em diante tudo que lembro são flashes.

Ao acordar na vila dos Biltres, me disseram que no caminho de volta até zumbis foram avistados na cidade amaldiçoada. Sendo assim, fico feliz de não ter visto essas criaturas malditas e de ter tido mais uma chance de me recuperar para voltar aos ermos um dia.

Olaf, o anão.

• • •

Finisterra Ã© uma campanha de Hexcrawl que utiliza o sistema Caves & Hexes, inspirado no B/X de 1981. A campanha acontece nos estilo de Mesa Aberta (ou West Marches), o que significa que diversos grupos jogam no mesmo cenário compartilhado, as sessões acontecem via chamada e aqueles que puderem participar no dia formam um time e saem para exploração.

➥ Venha jogar! ðŸ”— Notion - Finisterra

• • •

Se você leu até aqui peço que deixe um comentário ali embaixo falando se gostou ou desgostou ou se tem alguma sugestão, muito obrigado =)

• • •

Se você usa twitter me segue lá pra gente trocar uma ideia sobre RPG! ðŸ”— twitter.com/icaroagostino

Nenhum comentário:

Postar um comentário