quinta-feira, 9 de março de 2023

A Chegada do Old School Essentials no Brasil!

Considerado por muitos como o retroclone definitivo do D&D B/X (Basic e Expert) de 1981, o Old School Essentials é um premiado jogo e um dos principais produtos do movimento OSR no mundo.

Esse post será um review rápido de leitura do livro e análise do material físico, além de uma breve introdução ao movimento OSR!

O que é um retroclone e o movimento OSR

Dungeons & Dragons é o primeiro e mais relevante RPG de toda a história do hobby, com seu primeiro lançamento em 1974. Depois dessa versão seminal, diversas publicações vieram na sequência, e uma das mais relevantes e ainda jogada até hoje é a edição Basic e Expert, comumente chamada de D&D B/X, que compõem duas caixas de livretos, que permitia evoluir personagens até o nível 14 com regras simples e foco em desafios de exploração.

Depois dessa edição, a antiga editora TSR decidiu dividir a linha de jogo criando o Advanced Dungeons & Dragons (AD&D), o que incluía alguns tropos que se mantém até hoje, como a separação entre classe e raça, surgimento das perícias, divisão do alinhamento em 9 opções, dentre outros aspectos. Assim nos anos 80 tínhamos duas linhas paralelas de publicação, a linha “Basic” e a linha “Advanced”.

Com o fim da TSR e a venda dos direitos para a Wizards, a linha "Basic" foi descontinuada, e veio a famosa terceira edição que seguiu a linha do AD&D, mas removeu o “Advanced” do nome do produto.

Assim, toda uma comunidade que jogava a linha “Basic” ficou desamparada. A terceira edição tinha foco maior em combate, customização de personagem e um jogo com muito mais poder presente, uma proposta bem diferente da linha “Basic” que focava em regras mais simples, menos foco em combate, e voltada a aventuras de exploração em busca de tesouros e descobrir o mundo desconhecido.

Isso mudou com o surgimento da Open Game License (OGL) nos anos 2000 que permitiu que terceiros lançassem produtos compatíveis com D&D, o que incluía reeditar as edições antigas. Com isso surgiu o movimento Old School Renaissance (OSR) que buscava o resgate a esse estilo de jogo antigo e até então abandonado.

Esse post não tem intenção de explicar com profundidade o jogos OSR, mas alguns pontos importantes que definem esse estilo são:

➤ Regras simples: jogos desse estilo costumam ter poucas regras com grande modularidade, existem muitas lacunas para o narrador arbitrar situações e adaptar regras. Com isso o jogo costuma ser leve do ponto de vista mecânico e ágil na execução. Além disso, a geração de personagens é rápida, com fichas com poucos elementos mecânicos comparados aos jogos modernos.

➤ Foco na solução do jogador: sem sistemas de periciais todos os personagens são livres para resolverem as situações de forma criativa, utilizar itens e outros recursos e improvisar soluções que não são mecânicas, mas sim narrativas. É comum nesse tipo de jogo falar que a solução não está na ficha, por exemplo: ao invés de rolar uma checagem de percepção para descobrir se no piso existe uma armadilha, um personagem pode derramar um pouco da água de seu cantil para perceber se ficcionalmente o escoamento da água revela veios no piso que indicam algo escondido.

➤ Aventureiros e não heróis: nesse tipo de jogo os personagens são pessoas muito mais próximas do comum, e começam o jogo com apenas algumas capacidades especiais, normalmente as tramas não são heróicas, mas sim aventurescas com foco conseguir um tesouro e sobreviver ao invés de salvar o mundo. Com isso os jogos são mais letais e “pé no chão” e bem menos épicos como os jogos de fantasia atuais.

Um documento muito importante para o movimento, que discute vários aspectos desse estilo de jogo é o Quick Primer for Old School Gaming, que está disponível gratuitamente em português. Esse manual trata do estilo de jogo e suas filosofias, e é uma das leituras mais recomendadas para quem quer entender o estilo.

A versão traduzida foi feito pelo pessoal do Café com Dungeon, com tradução da Aline Terumi, Carlos Silva e Rafael Balbi, o material ainda contém ilustrações origianais do Carlos CastilhoFabio CastroFelipe FariaYuri Perkowski e Rafael Balbi.

O Old School Essentials - OSE

Diversos jogos surgiram no movimento OSR, e um dos mais importantes é o Old School Essentials, ou simplesmente OSE. Lançado inicialmente em 2018, o OSE traz uma reedição do D&D B/X com foco em compatibilidade.

Diferentes de outros jogos OSR, o OSE preserva as regras do B/X. A versão lançada no Brasil pela editora RPG Planet Press foi o Tomo de Regras, que apresenta em um único livro todo o material compilado. Mas uma pergunta comum é: por que um RPG “igual” ao B/X original?

Dentre diversas razões, a reorganização do material original torna toda  experiência de leitura e consulta mais clara e objetiva, e resolve vários problemas de interpretação e ambiguidade que existiam no material original em uma diagramação e organização muito mais lógica e funcional. Quando o B/X foi lançado em 81 muitas boas práticas em escrita de livros de RPG simplesmente não existiam, era comum informações da mesma classe estarem espalhadas em várias partes diferentes do livro, existirem regras ambíguas e por vezes conflitantes, além do fato do B/X em si está fora de linha de produção (ainda é possível adiquirir versões digitais no Drive Thru RPG: Basic e Expert).

Fonte: Foto interna do OSE retirada do site da editora

Dessa forma, décadas de materiais lançados para o B/X são totalmente compatíveis com o OSE, desde de aventuras e módulos originais da própria TSR, quanto diversos outros materiais mais recentes feitos para rodarem em cima da famosa edição de 81.

O OSE então se tornou um livro de referência para o movimento, definido muitas vezes como a melhor versão do D&D B/X ou o retroclone mais fiel e definitivo, servindo como um lugar comum para toda a comunidade, além de trazer de forma gratuita e aberta essa organização das regras no documento de referência do sistema (SRD) que pode ser consultado online.

A SRD do OSE também está disponível em português de forma gratuita pelo pessoal do Dados Místicos, pode ser consultada aqui: https://ose-srd.netlify.app/

Isso significa que o sistema, hoje em sua melhor versão, está aberto a qualquer um para consultar as regras do jogo reorganizadas sem necessidade de pagar nada. Por fim, a Necrotic Gnome que é editora original do OSE lançou uma licença de compatibilidade que permite que a comunidade produza materiais compatíveis com o OSE livremente.

A versão em Português pela RPG Planet Press

Finalmente em 2023 o OSE é oficialmente lançado no Brasil depois de um financiamento coletivo bem sucedido da recém criada editora RPG Planet Press. O livro físico do Tomo Regras foi publicado com duas versões de capas.


Dos materiais oficiais do OSE também foram lançadas a famosa aventura The Hole in the Oak (traduzida como o Buraco no Carvalho) e o escudo do mestre.


O livro físico veio no formato B5 com capa dura e acabamento de luxo, o que inclui a ilustração da capa com brilho e dois fitilhos para marcação de páginas. Depois da leitura com o livro em mãos vale ressaltar a excelente tradução do material e o trabalho de diagramação que preservou a estrutura do livro original. Além disso a versão brasileira tem artes originais de ilustradores brasileiros.

O livro está disponível para compra no site da própria editora, assim como os demais materiais lançados pelo financiamento coletivo. Algumas fotos tiradas do livro físico:


• • •

Esse foi um review rápido de leitura do material físico e uma introdução ao universo OSR. Logo mais devo colocar uma campanha em andamento utilizando o OSE como sistema e novos posts devem aparecer por aqui!

Se você gostou desse texto, deixa aqui em baixo um comentário, crítica ou sugestão!

• • •

Se você usa twitter me segue lá pra gente trocar uma ideia sobre RPG! ðŸ”— twitter.com/icaroagostino


Nenhum comentário:

Postar um comentário