quarta-feira, 5 de abril de 2023

Blades in the Dark [S02] - O Fantasma Vingativo

Após o primeiro golpe, o bando de audaciosos vigaristas se estabelece no Emaranhado, um local peculiar na sombria cidade de Doskvol, agora eles precisam lidar com as consequências do feito. O acordo com Lyssa para acobertar a morte do até então líder dos Corvos coloca os vigaristas em uma situação complexa, somada à presença de um fantasma na região, causando mortes e medo.

Blades in the Dark √© RPG com mec√Ęnicas modernas que coloca os jogadores na pele de vigaristas em busca de poder e fortuna em um cen√°rio vitoriano de fantasia sombria p√≥s apocal√≠ptico.

Ilustração do livro básico - pág. 92

Esse post é o relato da segunda sessão de jogo, no post anterior apresentei brevemente o jogo e os eventos da primeira sessão, se você não leu, veja aqui:

RELATO SESS√ÉO 1  ūüĒó https://www.dialogoficcional.com/2023/02/bitd-01.html

As Consequências do Assassinato

Em Blades in the Dark vários elementos de fantasia sombria permeiam o cenário, um deles é a presença de fantasmas como resultados dos eventos cataclísmicos que trouxeram a decadência:

"Quando um corpo morre, o seu esp√≠rito n√£o se dispersa como nos tempos antigos. Ele se torna um fantasma: uma entidade espectral composta de vapores electroplasm√°ticos.” p√°g 226 do livro b√°sico.

Fantasmas s√£o considerados uma praga, e precisam ser destru√≠do ou causam p√Ęnico e caos por onde passam, Patrulheiros Espirituais fazem o servi√ßo que recuperar cad√°veres e levar at√© cremat√≥rios, onde o corpo √© dissolvido em electroplasma, destruindo o esp√≠rito e impedindo a transforma√ß√£o em fantasma.

Na primeira sessão, o bando presencia o assassinato de Rorik, líder dos Corvos, uma importante facção da cidade, Lyssa até então a segunda em comando cortou a garganta de Rorik e empurrou rio abaixo, deixando seu corpo se perder. O bando então testemunha e se envolve com o crime, fazendo um acordo com a assassina para colaborar em acobertar o caso.

Além disso, foi invocado na cena um fantasma (pela minha personagem sussurro) no meio da confusão para criar mais caos e dispersar as pessoas. Com isso existe agora um fantasma solto, o que por si só é grande problemas, além do corpo de Rorik desaparecido, o bando precisa achar meios para lidar com esses problemas.

Impactos Narrativos e Ficcionais

O início da segunda sessão é marcado pelo narrador descrevendo o caos pelo assassinato e a invocação do fantasma no Emaranhado. Frost, um NPC com relação positiva com um dos membros do bando fala que as energias espirituais do local precisam ser apaziguadas, o grupo então paga 1 moeda para os gondoleiros, uma facção de barqueiros que supostamente tem conhecimentos arcanos e podiam ajudar a acalmar as coisas.

Ilustração do livro básico - pág. 134

O próximo passo foi ir até a sede dos Corvos falar com a própria Lyssa e entender como proceder, ela então pressiona o bando para resolver o caso quanto antes, tréguas de paz entre gangues foram quebradas pela morte de Rorik e murmurinhos começam a circular que o fantasma do próprio Rorik já está se vingando de traidores.

O bando ent√£o prop√Ķe usar o fantasma que foi invocado como culpado da morte de Rorik, livrando Lyssa de ser apontada como culpada. Al√©m disso, um outro membro dos Corvos diz que viu o fantasma de Rorik circulando.

Ap√≥s sair da sede dos corpos, o bando vai em busca de conselhos no Barril Furado, o bar de Mardin Gaivota, o financiador inicial do bando. Mardin levanta possibilidades de utilizar o ocorrido a nosso favor. O bando ent√£o decide que o golpe dessa sess√£o vai ser ir atr√°s do fantasma, seguindo a ideia de us√°-lo como culpado e posteriormente usar esses fatos contra os pr√≥prios Corvos.

A grande questão é: como?

Levantando Informa√ß√Ķes

Seguindo a estrutura do jogo, antes de entrar de fato no golpe, o bando decidiu levantar informa√ß√Ķes, para assim definir o plano, as seguintes informa√ß√Ķes foram levantadas:

• O fantasma que foi invocado pela minha personagem √© de um corpo j√° antigo vitima de outro assassinato. Conseguimos o corpo do "nosso" fantasma com o Frost.

• Descobrimos que o rumor do fantasma do Rorik est√° correndo, que suspeitam da Lyssa como assassina e que os mortos pelo fantasmas eram corvos do lado de Lyssa

• Uma carruagem aborda um dos personagens, um aut√īmato (um corpo mec√Ęnico animado por um esp√≠rito, eles costumam n√£o ter sentimentos e serem usados como ferramentas por outros) fala que tem procurado o corpo de Rorik ainda n√£o localizado. O aut√īmato √© bem vestido (cartola e trajes finos) e est√° a mando das Irm√£s Funestas, personagens importantes que lidam como fantasmas. As Irm√£s pagam uma boa quantidade pela alma do Rorik caso encontremos. O aut√īmato ainda conta que existe outro fantasma buscando vingan√ßa na regi√£o. 6 moedas s√£o pagas pelo fantasma de Rorik e 1 pelo desconhecido.

O Golpe

Em porte do corpo já decrépito, o bando decide invocar o fantasma utilizando o cadáver como fonte de conexão. Os dois personagens sussurros lideram o ritual, sintonizando as energias arcanas do bando para compelir uma invocação. O fantasma vingativo aparece!

Assim, é iniciado uma tensa negociação com o fantasma, que conta que busca vingança pelo seu assassinato, um novo acordo é feito, oferecemos ao fantasma ajuda na realização da sua vingança em troca de cooperação, ele aceita e salta para dentro do corpo de um dos personagens, o retalhador (mais competente em combate) é possuído pelo fantasma e incorpora suas memórias e sentimentos.

Mec√Ęnica de Flashback!

Nesse momento, ativamos a mec√Ęnica de flashback para auxiliar na execu√ß√£o da vingan√ßa! Um dos diferenciais de Blades in the Dark √© o foco na a√ß√£o, dar golpes elaborados exige planejamento, e isso costuma ser algo minucioso que leva tempo e muita discuss√£o, se aproveitando de outras m√≠dias, o jogo resolve esse ponto jogando os personagens direto na a√ß√£o e deixando todos os detalhes para serem resolvidos em flashback.

Sabe aquela cena de filmes de infiltra√ß√£o, em que certo ponto o personagem fica em um “beco sa√≠da” preso em uma sala sem a chave? Ent√£o a cena corta e mostra como em dois antes ele seduziu algu√©m e roubou a chave por que j√° imaginava que isso poderia acontecer, de repente em um flashback mostra esse fato, a cena corta para o presente de volta e o personagem saca a chave que precisava para sair dali no momento derradeiro.

Em Blades, os flashbacks s√£o al√©m de elemento narrativo, s√£o uma parte importante para resolu√ß√£o de conflitos, assim “becos sem sa√≠da” podem ser resolvidos voltando no tempo e lidando com riscos do presente com a√ß√Ķes do passado. Um exemplo dado no livro √©: no momento que voc√™ invade um local percebe que claramente ali √© um local patrulhado, em um flashback voc√™ pode ter convencido algu√©m a cancelar a patrulha daquela noite.

A mec√Ęnica funciona com custo de Estresse a depender da complexidade, o personagem possu√≠do pelo fantasma ent√£o utiliza o flashback para descobrir do que se trata a vingan√ßa que aquele fantasma quer executar.

Assim, voltamos no tempo e dias antes do golpe, já com a informação de que o fantasma invocado era alguém vingativo, o bando investigou as mortes naquela região, até localizar uma em específico, um assassinato sem solução causado por uma provavél traição entre companheiros. O possível assassino que saiu impune é alguém conhecido na região, agora tínhamos um nome e um local!

Executando a vingan√ßa do fantasma e outros assassinatos 

De forma resumida, o fantasma vingativo foi vitima de uma trai√ß√£o entre companheiros motivada por gan√Ęncia e sobreviv√™ncia. O bando ent√£o decide agir de forma audaciosa e aproveitar o rumor que o fantasma de Rorik j√° est√° matando pessoas e executa a v√≠tima da vingan√ßa de forma brutal, o personagem Retalhador possu√≠do pelo fantasma vingativo age de forma exageradamente violenta.

Ilustração do livro básico - pág. 44

Ap√≥s cumprir a vingan√ßa fugimos da cena do crime, logo Patrulheiros estariam ali. No caminho da fuga cruzamos com dois Corvos que importunavam um comerciante local, aqui o bando decide ir al√©m e aproveitando o caos assassinam os Corvos. Por fim, mais um dilema aparece: o comerciante “inocente” viu tudo, e acaba virando mais uma v√≠tima das a√ß√Ķes desenfreadas daquela noite, n√£o podiam haver testemunhas.

Por fim o bando deixa uma mensagem escrita com sangue: “Rorik esteve aqui!”

A linha de racioc√≠nio foi aproveitar a confus√£o para inflamar os rumores que o fantasma de Rorik estaria se vingando de Corvos, esse foi um rumor coletado no levantamento de informa√ß√Ķes.

Relato e próximos capítulos

Essa sessão foi bem eletrizante, e colocou nós como jogadores na pele de personagens de fato gananciosos e nada heróicos, ficou claro que em Blades in the Dark a sobrevivência no mundo cruel de Doskvol está acima de qualquer moralidade.

A mec√Ęnica de flashback foi uma experi√™ncia bem diferente, apesar de j√° ter usado em outros sistemas, ela sempre aparecia como uma acess√≥rio, e n√£o como um elemento central da resolu√ß√£o de conflitos.

Atualmente o jogo já está indo pra sexta sessão, mas estive com problemas de arrumar tempo para escrever, então logo mais os próximos relatos estarão disponíveis.

• • •

Próximo relato

RELATO SESS√ÉO 3 ➤ ūüĒó https://www.dialogoficcional.com/2023/04/bitd-03.html


Lista de todos os relatos

RELATO SESS√ÉO 1 ➤ ūüĒó https://www.dialogoficcional.com/2023/02/bitd-01.html

RELATO SESS√ÉO 2 ➤ ūüĒó https://www.dialogoficcional.com/2023/04/bitd-02.html

RELATO SESS√ÉO 3 ➤ ūüĒó https://www.dialogoficcional.com/2023/04/bitd-03.html

RELATO SESS√ÉO 4 ➤ ūüĒó https://www.dialogoficcional.com/2023/04/bitd-04.html

RELATO SESS√ÉO 5 ➤ ūüĒó https://www.dialogoficcional.com/2023/05/bitd-05.html

• • •

Se voc√™ usa twitter me segue l√° pra gente trocar uma ideia sobre RPG! ūüĒó twitter.com/icaroagostino


Nenhum coment√°rio:

Postar um coment√°rio